Robô-professor equipado com leitor de sinais cerebrais consegue manter os alunos concentrados

Um sistema automatizado detecta quando os alunos on-line estão distraídos ou cochilando e, em seguida, usa truques para mantê-los alerta.

Cochilando durante uma aula chata na escola? Um professor robótico – que monitora os níveis de atenção e imita as técnicas que professores humanos utilizam para manter seus alunos atentos – promete acabar com o cochilo, especialmente para os estudantes que têm suas aulas online. Testes indicam que o robô pode aumentar o quanto os alunos se lembrar de suas aulas.

Sistemas tutores inteligentes que usam os professores virtuais para interagir com os alunos poderiam desempenhar um papel crucial no campo de expansão da educação online. O problema com cursos on-line é que é, de modo geral, impossível saber se o aluno está se concentrando envolvido com a lição. Ao contrário dos professores virtuais, os professores humanos têm uma série de truques para manter o aluno focado em suas aulas: alterar o tom de sua voz, por exemplo, ou gesticular para enfatizar os pontos e se envolver com seu público.

Bilge Mutlu e Dan Szafir da Universidade de Wisconsin-Madison queriam saber se um robô poderia usar algumas das mesmas técnicas dos professores para melhorar o quanto um aluno mantém seu foco nos estudos. A dupla programou um robô humanóide para contar aos estudantes uma estória então os testaram para ver o quanto eles tinham lembrado. Utilizando um sensor de US$ 200 para monitorar a área do cérebro ligada a aprendizagem e concentração, quando uma diminuição significativa na sinais cerebrais indicavam que o nível de atenção do aluno tinha caído, o sistema enviava um sinal para o robô para desencadear uma ação apropriada: levantar a voz ou fazer gestos de braços utilizados para recuperar a atenção.

Como a equipe esperava, os estudantes que ouviram a estória do robô que reagia a sua falta de concentração foram melhor que os estudantes de outros dois grupos, respondendo a uma média de 9 de 14 perguntas corretamente, em comparação com apenas 6,3 quando o robô não reagiu à falta de atenção. Os resultados foram apresentados na Conference on Human Factors in Computing Systems, em Austin, Texas, no início deste mês.

Fonte: http://www.newscientist.com/article/mg21428665.500-mindreading-robot-teachers-keep-students-focused.html